Breve História da Imprensa
Desde os tempos mais remotos o homem sente a necessidade de transmitir o conhecimento para outros, a fim de preservar seus sentimentos e idéias, ou até mesmo para vangloriar-se de seus feitos, registrando suas caçadas nas paredes das cavernas para que outras tribos pudessem confirmar o acontecimento. Estas pinturas rupestres foram a forma principal de comunicação entre os homens.
O desenvolvimento do alfabeto fonético pelos fenícios em 2.000 AC marcou a história da palavra escrita na civilização ocidental. Ao contrário dos alfabetos baseados em ideogramas, os quais continham mais de 40.000 caracteres, o alfabeto fonético representa a linguagem em apenas 26 símbolos.

Manuscritos Iluminista
Os livros produzidos pela Igreja Celta na Irlanda no século 18 representam o máximo da arte dos escribas. Mas, tais livros eram únicos, caros e difíceis de se ler.

Prensa
Gutenberg adaptou uma prensa para vinho em uma prensa impressora. Sua Bíblia de 42 linhas, publicada em 1455, é considerada o marco do nascimento da imprensa. Cerca de 180 Bíblias foram impressas.

Impressora Rotativa
Por volta de 1850, impressoras rotativas de metal substituíram as prensas planas de madeira. O desenvolvimento de bobinas tornou possível impressoras rotativas a vapor atenderem à demanda de jornais de circulação em massa.

Fotocomposição:
Em máquinas de fotocomposição, cada caractere era guardado como uma forma transparente num pedaço de filme opaco. Os caracteres de uma fonte são arranjados num tira. Quando o operador digita uma letra, o caractere gira até uma posição em frente a uma fonte de luz e lentes, a qual projeta a forma de letra num papel fotossensível. Usando lentes de diferentes focos, caracteres de diversos tamanhos podiam ser originados da mesma forma.